Diário, diário meu...

Diário, diário meu...

Total de visualizações de página

domingo, 8 de abril de 2012


SUBMUNDO?

Quem diria...
que aquela pessoa pacata
tranquila
que nada demais exigia da vida
achando que já vivia no paraíso
pudesse um dia mudar!
E outra experiências
vivenciar!
Por quê?
Ah...
"as voltas que a vida dá" (já ouvi isso!)
Talvez por vontade de mudar
que nem ela mesma soubesse
Talvez uma desilusão a fizesse experimentar o outro lado
Talvez a necessidade de uma virada mais radical
Talvez...
Quem sabe, um desejo oculto...
Quem sabe?
Acomodar-se, recolher-se: dois verbos que deixaram de existir
no seu dicionário.
Juventude à tona! Por que não?
Idade física é diferente de Idade mental => Fato!
E podem ter certeza, de que o interior se exterioriza perfeitamente bem
se estiver em paz.
Festas, música boa, bebida melhor ainda, paqueras mil, muita curtida, risadas,
amizades,
cumplicidades, segredos compartilhados,
descoberta de grandes amizades.
Uma outra vida que se desnuda
Cara a cara
O novo
Uma aventura ao inusitado
Ao prazer
Ao encontro e desencontro,
Começando a entender
Alguns porquês
Colocando-se no lugar do outro
E percebendo, vivendo
Novas maneiras de encarar
Os relacionamentos
Os desapegos
Dando-se o direito
De saber-se
Desejada
E de poder
Conquistar e ser conquistada
Desejar e rejeitar
E nada querer
Querendo tudo
Poderosa
Seduzindo e sendo seduzida
Entre os bons,
Não tão bons,
Tolinhos, santinhos,
Cafajestes (uau!), ordinários,
Don Juans...
Tudo isso?
Será, mesmo?
Submundo?
Sub, sub...
Quase!
Mas quem de verdade a conhece
Dirá:
"Continua, no fundo, a ingênua, bobinha de sempre!
Com um toquezinho de pimenta a mais..."
Porque na essência, seremos
O que sempre fomos. Nada nos poderá mudar.
Somos o que trazemos no íntimo!
Apenas assumimos papéis momentâneos.
São vivências
Não paramos no tempo
Estamos vivos
E é bom sentir-se vivo, desperto, atuante!
Minha amiga diz que isso é... Submundo!
Se é: Benvindo!
Muita risada!
Obs.: Sem jamais prejudicar ninguém.
A não ser os tolos que nos queiram imbecilizar e não entendem
a alma feminina!

Gis (08/04/2012)

RENOVAÇÃO

Talvez seja isso a Páscoa: renovação.
Renovar-se a cada dia,
a cada hora
e instante.
Somos mutantes.
Tendo em mente
o mudar para melhor.
Jamais retroceder.
Avançar
progredir
renovar.
Novos pensamentos
conceitos
atitudes
estilos
que sejam benéficos,
alegrem a alma,
apaziguando o espírito.
Refletindo num sorriso sincero
um olhar brilhante
uma palavra de luz
Transbordando do interior para o exterior
Renovação!

Gis (08/04/2012)

CAMINHADA

O tempo passa
Eu mudo
Tu mudas
Todos mudamos
Já não somos mais os mesmos
Tantos acontecimentos
Alegrias
Amores
Surpresas
Êxtases
Frustrações
Enganos
Desenganos
Dores
Tudo vai nos moldando
E o ser que éramos
Foi ficando lá atrás
Perdido no tempo
Já não faz mais parte do atual
Somos hoje,outros seres
Bons ou maus?
Não cabe a ninguém julgar
Diria que mais experientes
Embora, ainda, por vezes,
Pessoas ingênuas
Pois que não paramos de aprender
E como aprendemos...
Ainda caímos,
Levantamos,
Sacudimos a poeira
E seguimos.
Assim, vamos nós, todos.

Gis (08/04/2012)

quarta-feira, 4 de abril de 2012


VENTO

Vento...
que vem
e que leva
que traz
e que vai.
Vento...
agitas
sacodes
irritas
incomodas
perturbas
Vento...
de onde vens?
para onde vais?
o que trazes?
o que levas?
Vento...
que agitas os fios
que sacodes as casas
que irritas meus nervos
que incomodas minh'alma
que perturbas meus planos
Vento...
por que vens?
como vais?
o que queres?
Vento...
sopras
danças
corres
murmuras
Ventoooooooooooooooooo...

Gis (16/10/1986, às 21h05min)

A NOITE

A vida gira
e a noite é plena
de dores
de amores
de alegrias
de tristezas
de...
de tantas e tantas sensações
boas ou más
Você pode estar dançando
Sorrindo
Amando
Envolto em luzes
Em sons
Em...
Mais adiante
Ou não tão distante
Talvez até do seu lado
Pode estar alguém chorando
Sofrendo
Amargurando.
Pode ser que tenha estrelas
Luas mil
Nuvens
Calor ou frio
Até mesmo chuva ou tempestade
Mas quem sabe o que se passa
na noite de cada cidade,
bairro, esquina, rua ou bar?
Em cada lar
Nas boates ou discotecas
cabarés ou botequins
Nas mansões ou nas favelas
Nos hospitais
Nas delegacias
Tudo acontece
É a vida que escorre...
É a noite que passa...

Gis (em alguma noite perdida no tempo...)