Diário, diário meu...

Diário, diário meu...

Total de visualizações de página

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014


SAUDADE...

Faz 39 anos...
Hoje foi uma noite de fortes emoções!
Foi demais!
1975... tiveste que partir...
e eu ainda
querendo permear os caminhos
da adolescência...
Fiquei sem chão
Perdi meu referencial
Sozinha
Sem teu amor!
Muitas muitas noites de choro abafado,
escondido
para que ninguém visse
meu sofrer!
Não pude compartilhar contigo
meus devaneios
e sofrimentos de adolescente...
Ficarias orgulhosa de ver tua filha na faculdade...
Minha formatura...
sem ti (senti!)
Do homem da minha vida,
não te pude contar!
Do meu casamento
sem te ter junto a mim
para me arrumar,
para me aconselhar,
para me explicar tantas coisas...
Sem ter teu colo
por todas as vezes
em que me sentia fraquejar!
Queria ter visto tua alegria ao nascer do teu lindo netinho!
Meu loirinho, de cachinhos!
Tu irias te apaixonar!
A falta que me fizeste...
Te queria ao meu lado
nos bons e nos maus momentos!
Para tudo partilharmos... Éramos tão cúmplices!
Ai, que saudades do teu cheirinho,
do teu colo,
do teu abraço e dos teus beijos!
Das comidas deliciosas que só tu sabias fazer!
Da tua alegria de viver!
Ah, minha eterna e amada mãe!
O amor não se extingue...
Recebi tua mensagem de amor,
teu coração pulsante,
teu abraço terno, amoroso!
Ah, quanta saudade!
Eu entendo que não foi tua culpa, nem de ninguém!
Na minha tristeza e ignorância,
milhares de vezes, perguntei: "por que tiveste que me deixar?"
Perdão,
isto não dependia de ti!
Mas no egoístico amor, queremos sempre ao nosso lado
aqueles que amamos! Sempre!
Aprendi,
a duras penas,
a viver!
Muito me ensinaste nos poucos anos em que juntas estivemos!
E não esqueci tuas lições!
O importante, agora,
é que estás bem
e que te orgulhas de mim, de meu aprendizado!
Inevitável, a saudade...
Ainda mais nesta época de fim de ano,
em que afloram os sentimentos!
Obrigada pelo presente!
Obrigada, meu Deus!
Te amo, minha mãe!
Sempre!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014


MUITO ALÉM

Uma vez
no tempo
Num tempo
longínquo
Num lugar
distante
Um romance...
Um romance
inesquecível
Um amor infindo
Em meio a olhos perversos
e a poderes escusos...
O amor é puro
A paixão, venenosa.
Como em um coração mandar
se o amor não se explica?
Sente-se!
E pronto!
Num tempo de poder,
o amor não tinha vez!
Orgulho ferido!
Ódio cego!
Negam a felicidade de um amor profundo.
Pobres malditos!
Mal sabiam eles
que mesmo exterminando a matéria,
guardavam os espíritos
o sentimento que os unia: o amor!
E o romance continuou... além...
muito além de tudo e de todos...

YES!

"There will be an answer
Let it be..."
Uma resposta
Uma explicação
Uma razão...
Haverá...
"Nada é por acaso"
Tudo tem seu tempo
Seu momento...
E na hora tal,
o que parecia confuso,
errado,
inexplicável,
claro será!
Fará sentido
Encaixar-se-á
perfeitamente
como a pecinha
do quebra-cabeça que faltava...
Essa hora virá!
Deixa estar!

sábado, 12 de julho de 2014


Quase não creio que vejo neste exato momento, meu Brasil perder de 6 a zero para a Alemanha...
Estou sem ação. Nem consigo reagir, tal a inacreditável e sufocante derrota!
Os minutos avançam inexoravelmente... 7 a zero! Céus! Goleada avassaladora!
O tempo continua correndo e o time adversário, também!
Mas como reagir após 5, 6, 7... gols? Uma avalanche de gols!
Impossível...
Glória alemã?
Total incapacidade brasileira?
Talvez eu não acreditasse em vitória...
Talvez...
Porém, uma derrota tão humilhante...
Jamais esperaria tanto fracasso...
Aos que torceram contra? Fazer o quê? Cada um sabe os sentimentos que os move... Não critico! Respeito a todos!
Nem sempre podemos sair vencedores! Triste é perder tanto... 1 golzinho... afinal...
O mundo joga futebol, sim!
E como!

08/07/2014