Diário, diário meu...

Diário, diário meu...

Total de visualizações de página

domingo, 23 de agosto de 2015



QUEM SOMOS? O QUE QUEREMOS? PARA ONDE VAMOS?

Somos um bando de zumbis
exalando feromônios
perdidos pelas noites...
densas noites,
mundo afora...
noite após noite...
no misterioso, nebuloso, envolvente
da noite.
E ali e aqui
olhos parados
olhos perdidos
outros agitados
alguns fechados
olhos sonhadores
olhos abertos que nada vêem
arregalados, assustados
olhos em êxtase
ou tristes
buscando
evitando
admirando
espiando
piscando
conquistando
ou repelindo
No ar da noite
nos bares
nos becos
nas ruas quaisquer
corpos se exibem
procuram
se acham e se perdem...
em todos os lugares
com todas as gentes...
Desnudos os costumes,
a noite
a todos consome!
Sem dó!
Todos
a ela se entregam,
vulneráveis...
É a hipnose da noite,
com seus cheiros,
luzes,
sons,
sabores,
ofertas de sonhos,
sonhos mil!
A noite e seus encantos...
Ou não!
No frenesi da busca,
na ânsia da procura,
no encontro de almas,
ou apenas andando só na multidão,
segue o bando...

08/08/2015 - 3h



quinta-feira, 30 de abril de 2015



DIA TRISTE

Tristeza...
De repente, a avassaladora tristeza!
Acontecimento que se anunciava,
silenciosamente,
mesmo que se negasse.
Fugia eu, daqui,
dali,
sem querer entender o porquê!
E o inevitável
acontece...
inexorável! Acontece...
Seria para não relembrar situações passadas?
Medo de sentir doer o coração,
de novo, vendo no outro tudo que outrora também passei?
Não sei...
Sei apenas que, covardemente,
me escondi
atrás de desculpas covardes.
Lá no fundo, um receio, um medinho, me assombrava...
Adiei...
Adiei...
Quando decidi...
tarde demais!
Até para dizer "adeus",
foi tarde demais!
Poxa vida, dona vida,
que peça me pregaste hoje...
Deu tudo errado!
Comunicações não comunicadas!
Telefone errado!
Horários indisponíveis...
E a vida tão breve... brevíssima!
Fazendo-se... Escorrendo... Escoando...
O tempo urge!
O tempo é cruel!
Que aprendamos, todos, a lição: a vida não espera!
Segundo Clarice Lispector: é um sopro!
E assim, ficamos... assistindo a isso: à vida passando...
As pessoas indo...
Nossos queridos nos acenando...
Mais uma vez ficamos órfãos...
E assim vai sendo...
( Minha querida tia Maria Terezinha Brum Chaves!) - 29/04/2015 -
Meus sentimentos, dedicada e guerreira prima Mariza Chaves, Renato Chaves, ...