Diário, diário meu...

Diário, diário meu...

Total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de março de 2016


SENSIBILIDADES...

Não!
Eu não quero conversar sobre.
Não quero nem pensar!
Evito! Fujo! Despisto!
E, quando menos espero...
Sentimentos...
Pensamentos...
me assaltam!
Como brasa reavivada.
Pequenas fagulhas
ainda no ar,
sorrateiramente
me perseguem.
Parecem, mesmo, me procurar!
Ou
será que eu as atraio?
Vai passar!
Sei que vai!
O problema
é o enquanto não passa...
Não sei se ainda dói tanto quanto antes
Talvez não...
Um misto de desconforto
com melancolia e,
sim,
uma certa tristeza...
sensação de abandono,
solidão,
inferioridade,...
Abatimento instantâneo.
Eu sei que há dores muito maiores,
e piores,
neste mundo. Eu sei...
Hoje consigo entender isso!
É que na hora da dor
é como se nos tornássemos egoístas.
É a nossa dor!
E é a mais doída de todas!
Nem sabemos o que mais existe!
Mas já consigo ser mais racional...
um pouco depois, é claro!
Só me pergunto por que ser tão sensível!
Por que sentir tanto assim?
Por quê?
Às vezes me envergonho de ser assim...
Pareço boba... imatura...
Sentir demais não faz bem!
Mas...
Se eu fosse de pedra, seria melhor?
Iria eu me gostar?
Uma certeza eu tenho:
Prefiro sofrer
a fazer sofrer!
Não adianta, sou assim!
Um dia
melhoro...
Daqui a pouco...